EUA não confirmam autenticidade de mensagem de Bin Laden

Em nova mensagem de áudio, líder da Al Qaeda assume atentado fracassado contra aérea americana no Natal

Efe

24 de janeiro de 2010 | 15h16

Os Estados Unidos disseram neste domingo, 24, que não podem confirmar a autenticidade da nova mensagem de áudio do líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, na qual assume a responsabilidade pelo atentado fracassado contra uma companhia aérea americana no dia de Natal.

 

Na mensagem, dirigida ao presidente americano, Barack Obama, e divulgada neste domingo pela rede de televisão "Al Jazira", Bin Laden ameaçou com novos atentados os EUA se não forem feitos esforços para acabar com o sofrimento dos palestinos.

 

Bin Laden assumiu a responsabilidade pelo atentado fracassado no Natal, quando o jovem nigeriano Omar Farouk Abdulmutallab tentou detonar explosivos em um avião da companhia aérea Northwest procedente de Amsterdã que se preparava para pousar em Denver.

 

Ele disse que o sinal enviado ao presidente dos EUA "com a tentativa do herói nigeriano Omar Farouk Abdulmutalab, é a confirmação" da "mensagem anterior transmitida pelos heróis de 11 de setembro".

 

O assessor político de Obama, David Axelrod, revelou neste domingo em declarações à rede de televisão CNN que a Casa Branca "não pode confirmar (a responsabilidade da Al Qaeda pelo ataque) nem confirmar a autenticidade".

 

Axelrod apontou que, se a mensagem é realmente de Bin Laden, "contém as mesmas justificativas vagas para o massacre em massa de inocentes". Acrescentou, em referência a Bin Laden, que "a ironia foi a responsável pelas mortes em nome do islã que o povo de qualquer outra religião".

 

"Ele é um assassino e continuaremos à ofensiva contra Al Qaeda para proteger o povo americano", concluiu o assessor presidencial.

Tudo o que sabemos sobre:
Bin LadenterrorismoEUAatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.