EUA não conseguem afastar Bustani da Opaq

O diplomata brasileiro José Maurício Bustani permanece no cargo de diretor-geral da Organização para a Proscrição de Armas Químicas (Opaq, órgão da ONU), porque os Estados Unidos não conseguiram hoje aprovar uma moção de não-confiança, que resultaria no seu afastamento.Durante reunião do Conselho Executivo da entidade, em Haia, os norte-americanos reuniram apenas 17 votos contra Bustani. O necessário para a sua destituição seria o correspondente a 2/3 dos 41 membros integrantes do colegiado, o equivalente a 27 votos.A maioria dos países se absteve e apenas cinco votaram pela permanência de Bustani: Brasil, Cuba, Irã, Rússia e China. Estão previstas novas reuniões nas próximas horas e a tendência é de que os Estados Unidos continuem a ofensiva contra Bustani.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.