EUA não elevarão alerta após ameaças de Bin Laden

O governo dos Estados Unidos não subirá o atual nível de alerta antiterrorista no país, apesar das ameaças de atentados contidas em uma gravação do líder da Al Qaeda, Osama bin Laden. "Neste momento não temos informação de que a Al Qaeda esteja pronta para atacar os EUA em breve", disse Michelle Petrovich, porta-voz do Departamento de Segurança Nacional, após a divulgação ontem da mensagem de Bin Laden, cuja autenticidade foi confirmada pela CIA.O atual estado de alerta, que se mantém desde outubro passado, é o "amarelo", que supõe um risco elevado de atentado no sistema de cores estabelecido após os atentados de 11/9.John Miller, um porta-voz do FBI (a polícia federal americana), indicou à rede de televisão ABC que, apesar de não haver mudanças no estado de alerta, a Segurança Nacional pediu aos órgãos policiais que revisem sua informação sobre terrorismo.Miller disse que essa revisão se refere a possíveis suspeitos, assim como à informação que possam proporcionar outras fontes de inteligência. "É preciso considerar tudo isso e ajustar-nos para ver qual é nosso nível de preparação", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.