EUA não permitirão que Iraque complemente relatório

A administração George W. Bush disse que os Estados Unidos não concederão outra chance a Bagdá para completar sua declaração de laboratórios e armas de destruição em massa, caso sejam identificados omissões ou falso testemunho no relatório encaminhado à ONU.O governo afirmou que, oficialmente, ainda está estudando o documento de cerca de 12.000 páginas, mas alega que há indicações de que o relatório contém omissões ao tratar dos programas de armas do Iraque. A opinião é compartilhada pela Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea) e pela Grã-Bretanha.O jornal britânico Financial Times publicou, citando fontes do governo, que os líderes britânicos estão desapontados com a declaração do Iraque."Acredito que ficou bastante claro que esta era a última chance do Iraque de informar ao mundo, de forma precisa e completa, sobre as armas de destruição em massa que possui", disse Ary Fleischer, porta-voz da Casa Branca.Questionado sobre se o Iraque teria uma nova chance, Fleischer respondeu: "Já tiveram 16." Ele referiu-se às resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas dos últimos anos, pedindo ao Iraque que se desarmasse.Enquanto isso, aviões militares anglo-americanos bombardearam uma suposta instalação de comunicações no sul do Iraque.De acordo com o Comando Central dos EUA, os aviões da coalizão atacaram a instalação, situada ao sul de Al-Kut (150 km a sudeste de Bagdá), por volta das 13h50 locais (8h50 em Brasília).O ataque teria acontecido depois de mísseis terra-ar serem disparados contra os aviões. Aviões norte-americanos haviam atacado outra instalação iraquiana ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.