EUA não querem que Brasil volte a mediar programa atômico do Irã, diz Amorim

O governo americano não quer que o Brasil participe da retomada das negociações sobre o programa nuclear do Irã. Ontem, o numero 2 do Departamento de Estado americano, James Steinberger, disse em Genebra que há uma "diferença de táticas" entre a visão brasileira e a americana. O chanceler brasileiro, Celso Amorim afirmou que alguns países europeus estariam de acordo com a presença brasileira. "Os EUA parecem não ter aceitado", concluiu. O líder iraniano Mahmoud Ahamdinejad disse que negociaria a partir de setembro. Segundo Amorim, Teerã quer a participação de Brasil e Turquia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.