EUA ´não se atreverão a atacar´ o Irã, diz chanceler

O ministro de Relações Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, disse que os Estados Unidos "não se atreverão" a atacar o Irã e destacou que o Governo americano "não está em condições de se envolver numa nova crise", segundo informou nesta sexta-feira, 30, a agência Isna."Duvidamos que alguém se atreva a atacar o Irã. Não achamos que os EUA estejam em condições de se envolver numa nova crise, especialmente considerando que enfrenta a sua própria crise interna", disse Mottaki numa entrevista ao jornal saudita Al-Riadh, citada pela agência oficial iraniana.O ministro defendeu o programa atômico civil iraniano, nos termos do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP). Para ele, o Irã tem o direito de desenvolver energia nuclear com fins pacíficos."O país que usou bombas nucleares contra Hiroshima e Nagasaki quer privar o Irã desse direito", disse, em referência aos EUA.Comentando a detenção dos 15 militares britânicos, Mottaki afirmou que o Reino Unido "deve admitir seu erro como primeiro passo para a libertação do grupo".O ministro explicou que os militares iranianos divulgarão em breve todos os dados sobre o momento da detenção dos militares, que foram gravados por satélite, segundo afirmou.Os EUA anunciaram esta semana o início de manobras navais no Golfo Pérsico, as maiores desde o início da Guerra do Iraque. A operação conta com a presença de dois porta-aviões, 100 aviões e cerca de 10 mil militares.Fontes próximas à Presidência iraniana disseram à Efe que o anúncio americano faz parte de uma "campanha psicológica de propaganda". E ressaltaram que o Irã está "preparado para qualquer eventualidade"."Todos os eventos estão sendo observados e estamos preparados para qualquer eventualidade, mas aconselhamos tranqüilidade", disse Ali Akbar Javanfeker, assessor de Informação do presidente Mahmoud Ahmadinejad.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.