EUA negam que comandante no Iraque testemunhou torturas

O Exército dos Estados Unidos rechaçou nesta domingo as denúncias publicadas pelo jornal The Washington Post de que o general Ricardo Sanchez, comandante das tropas norte-americanas no Iraque, assistiu a interrogatórios abusivos de presos iraquianos na prisão de Abu Ghraib. "Essa reportagem é falsa e o general Sánchez mantém o que disse no Congresso", diz o comunicado do Exército. Segundo o jornal, o capitão Robert Shuck, advogado de um dos soldados acusados de tortura, disse que um oficial da prisão lhe confessou que Sánchez e outros militares de altas patentes "estavam presentes em Abu Gharib quando se praticaram maus-tratos contra presos". O capitão advogado é defensor de Ivan Frederick, um dos sete soldados acusados de violências contra os detidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.