EUA oferecem US$ 5 mi por militantes do Hezbollah e da Jihad

Os Estados Unidos ofereceram nesta segunda-feira recompensas de até US$ 5 milhões pela captura de um membro do grupo libanês Hezbollah e outros US$ 5 milhões por um militante da Jihad Islâmica palestina - ambos considerados por Washington como entidades terroristas. Mohammed Ali Hamadei, segundo o Departamento de Estado, é militante do Hezbollah e viveria no Líbano. Ele responde a 15 processos por ser acusado de participação no seqüestro de um avião da TWA, em 1985, que resultou na morte do navegador norte-americano Robert Stethem. O outro suspeito, Ramadan Abdullah Mohammad Shallah, é citado pelo Departamento de Estado como participante de atividades como atentados, homicídios, extorsões e lavagem de dinheiro em nome da Jihad. Desde 1995, ele seria secretário-geral e líder do grupo, com sede em Damasco. A secretária Condoleezza Rice autorizou que ambos entrassem para a lista de Recompensas para o Programa de Justiça do Departamento de Estado, com US$ 5 milhões cada, segundo nota à imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.