EUA: outra carta enviada para Senado pode conter ricina

Agentes de segurança norte-americanos informaram que uma segunda carta enviada para o Senado foi interceptada e passa por testes para detectar se contém ricina, substância vegetal altamente tóxica.

Agência Estado

17 de abril de 2013 | 12h53

Dois funcionários disseram à Associated Press nesta quarta-feira que a carta recebeu o mesmo tratamento que a enviada para o senador Roger Wicker, do Mississippi, e passa por testes. As fontes falaram em condição de anonimato, porque a investigação está em andamento.

A carta enviada para Wicker, que é republicano, foi interceptada na terça-feira nas instalações de correspondências do Senado, nas proximidades de Washington e foi comprovado que continha ricina. A senadora democrata Claire McCaskill disse que há um suspeito no caso, embora ninguém tenha sido indiciado. Não ficou claro para que senador a segunda carta foi enviada. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASenadoricina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.