EUA pagarão por informações sobre soldado seqüestrado

O Exército americano ofereceu neste sábado uma recompensa de US$ 50 mil a quem der informações sobre o paradeiro de um soldado seqüestrado no mês passado em Bagdá. Segundo um comunicado do comando militar americano, as tropas da coalizão no Iraque dedicaram uma linha de telefone, que estará aberta 24 horas, para receber informações sobre o soldado, de origem iraquiana, que foi seqüestrado em 23 de outubro. O militar, identificado como Ahmed Qais Al Tai, foi seqüestrado quando visitava a família de sua mulher iraquiana perto do bairro de Karrada, em Bagdá. Segundo o Exército americano, Al Tai emigrou do Iraque para os Estados Unidos quando era adolescente e iniciou seu serviço militar em dezembro de 2004. Em novembro de 2005, foi enviado ao Iraque, onde trabalha como tradutor para as tropas multinacionais. Um dia após seu seqüestro, as tropas americanas impuseram um cordão de segurança em Karrada e Cidade de Sadr, no leste da capital, áreas consideradas fortificações das milícias xiitas do Exército Mehdi, liderado pelo clérigo Moqtada al-Sadr. Nas operações realizadas em Cidade de Sadr, pelo menos dez insurgentes morreram e vários foram detidos, mas não há notícias do paradeiro do soldado seqüestrado.

Agencia Estado,

11 Novembro 2006 | 14h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.