EUA: Paralisação do governo afeta milhões de pessoas

A paralisação parcial do governo dos Estados Unidos, iniciada nesta terça-feira, afeta diretamente quase 800 mil servidores federais que ficarão em casa sem receber salários. Indiretamente, entretanto, a medida afeta desde a emblemática Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) até pacientes que recebem tratamento contra câncer.

AE, Agência Estado

01 de outubro de 2013 | 16h25

Serviços essenciais, como controladores de tráfego aéreo e carcereiros de prisões federais, continuam funcionando, mas sem um acordo no Congresso para reverter a situação, algumas agências estão praticamente vazias. É o caso, por exemplo, da Agência de Proteção Ambiental. No website da NSA, um aviso deixa claro ao visitante que as informações ali não estão sendo atualizadas. Segundo um assessor do Congresso, devido à redução na força de trabalho haverá uma "queda notável na coleta de informações de inteligência, análises, alertas e atividades de suporte".

Na entidade que agrega os institutos nacionais de saúde, o diretor Francis Collins disse que quase 200 pacientes que seriam admitidos no centro clínico para tratamentos serão orientados a voltar posteriormente. "Isso inclui cerca de 30 crianças, a maioria pacientes com câncer, que foram informados: ''sinto muito, vocês não podem vir pra cá''", comentou.

O impasse afeta também casamentos. Mike Cassesso e MaiLien Le, que iriam se casar neste sábado no Jefferson Memorial, receberam hoje um aviso do Serviço Nacional de Parques informando que todas as permissões para eventos no local serão canceladas se a paralisação do governo persistir.

Agências e programas que têm suas próprias fontes de financiamento, como o Serviço Postal, a Previdência Social, o Federal Reserve Bank e a Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA), não tiveram suas atividades afetadas. O mesmo vale para atividades consideradas necessárias para a segurança humana, como a inspeção sanitária para alimentos.

No Congresso, os parlamentares puderam decidir o que fazer com suas equipes. Alguns mantiveram os assessores nos escritórios, outros mandaram literalmente todos os auxiliares para casa. Em uma das ramificações mais concretas, o Departamento de Justiça pediu que um juiz federal adiasse uma audiência marcada para esta terça-feira na qual o governo questiona a fusão das companhias aéreas US Airways e American Airlines. O pedido não foi aceito.

Na região de Washington, vários restaurantes estão oferecendo comida de graça para os servidores públicos que não estão recebendo salários. No Daily Dish, em Silver Spring (Maryland), o café está sendo distribuído gratuitamente, mas uma placa na porta avisa: "Parlamentares pagam dobrado!". Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAparalisaçãoefeitos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.