EUA passam a exigir visto até de passageiros em trânsito

Brasileiros que fazem escala em Miami, Los Angeles ou outros aeroportos americanos em viagens para a América Central, México e países da Europa e Ásia precisam agora de visto de entrada nos Estados Unidos. A razão é a suspensão temporária, em vigor desde sábado, de dois dispositivos das normas de imigração dos EUA que dispensavam do visto passageiros de vôos internacionais em trânsito pelo país. A suspensão foi determinada pelo departamentos da Segurança depois que especialistas passaram a criticar as companhias aéreas por falhas no registro e no acompanhamento dos passageiros em trânsito pelos EUA durante as horas que permanecem em solo americano. O temor é que organizações terroristas como a Al Qaeda explorem as vulnerabilidades criadas pelo trânsito de passageiros internacionais nos aeroportos e consiga infiltrar seus agentes nos EUA. Segundo funcionários do departamento da Segurança Interna, que assumiu as funções do antigo serviço nacional de imigração, a suspensão valerá por dois meses. Nesse período, ela afetará mais de 6 mil passageiros, principalmente do Brasil, Coréia do Sul, Filipinas e Peru. As mesmas fontes disseram também que a dispensa do visto para viajantes em trânsito deverá ser reinstituída no futuro, depois da conclusão de um estudo a ser feito nos próximos 60 dias. A decisão não afetará passageiros que compraram suas passagens antes do dia 24 de julho e têm vôos de ida marcados até hoje, ou transitem pelos EUA, em viagem de volta até este sábado. Com a nova restrição, os cidadãos de apenas 27 países, a maioria da Europa, serão os únicos que poderão entrar ou fazer conexões nos EUA sem visto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.