Mark Abramson/The New York Times
Mark Abramson/The New York Times

EUA passam China e se tornam país com maior número de infectados pelo coronavírus, diz jornal

De acordo com dados coletados pelo 'New York Times', há 81.578 pessoas infectadas com o coronavírus, incluindo mais de mil mortes

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de março de 2020 | 18h37

NOVA YORK - Os Estados Unidos ultrapassam a China e agora lideram o mundo em casos confirmados de coronavírus: quase 82 mil. Os cientistas alertaram que o país um dia se tornariam o mais atingido pela pandemia de coronavírus. Esse momento chegou nesta quinta-feira, 26, de acordo com dados coletados pelo New York Times e pela Universidade Johns Hopkins. 

Nos Estados Unidos, sabe-se que pelo menos 81.578 pessoas foram infectadas com o coronavírus, incluindo mais de 1.000 mortes - mais casos do que a China (81,3 mil), a Itália (80,5 mil) ou qualquer outro país até agora.

Com 330 milhões de residentes, os Estados Unidos são a terceira nação mais populosa do mundo, o que significa que ela fornece um vasto conjunto de pessoas que podem potencialmente receber a covid-19, doença causada.

Em uma democracia ampla e cacofônica, em que os Estados estabelecem suas próprias políticas e o presidente Donald Trump envia mensagens contraditórias sobre a escala do perigo e como combatê-lo, não houve, segundo o jornal, uma resposta coerente e unificada a uma grave ameaça à saúde pública.

"Embora o sistema médico americano seja insuperável e seu sistema de saúde pública tenha a reputação de ser um dos melhores do mundo, uma série de erros e oportunidades perdidas prejudicaram a resposta do país", afirma o jornal.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Entre eles, segundo cita segundo a análise do New York Times, um fracasso em levar a pandemia a sério, mesmo quando ela tomou conta da China, "um esforço profundamente defeituoso para fornecer testes abrangentes para o vírus que deixou o país cego à extensão da crise e uma escassez terrível de máscaras e equipamentos de proteção para proteger médicos e enfermeiros na linha de frente, bem como respiradores para manter vivos os doentes graves".

Os hospitais americanos têm relatado cada vez mais estarem sobrecarregados com os casos da covid-19 e 40% dos americanos estão sob ordens de isolamento para impedir a propagação da doença. Pelo menos 1.178 pessoas morreram de Covid-19 nos EUA, segundo Johns Hopkins, incluindo 100 no dia anterior em Nova York. 

Embora as mortes continuem ocorrem mais em outros lugares, especialistas dizem que novos números de infecções mostram que muitos mais americanos vão morrer - e o número real de casos pode ser superior ao oficial devido à falta de kits de teste no país. / NYT e AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.