EUA pedem à China que explique projeto de porta-aviões

O governo dos Estados Unidos disse nesta quarta-feira que gostaria que a China explicasse porque precisa de um porta-aviões, o que reflete a crescente preocupação dos EUA a respeito da suposta falta de transparência da China sobre seus objetivos militares.

AE, Agência Estado

10 de agosto de 2011 | 16h35

"Para nós, seria bem-vinda qualquer explicação que a China desse da necessidade desse tipo de equipamento", disse a porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland, quando questionada se esse tipo de embarcação chinesa aumentaria as tensões regionais no leste da Ásia.

"Isso faz parte de uma preocupação mais ampla que nós temos, de que a China não é transparente como outros países. Ela não é transparente como os EUA a respeito das aquisições militares e também sobre o seu orçamento militar", ela disse à agência France Presse.

"Por isso, desejaríamos esse tipo de relação aberta e transparente nos assuntos militares", disse Nuland.

"Nas nossas relações militares com muitos países do mundo, temos o tipo de diálogo bilateral onde podemos ter informações específicas sobre o equipamento que temos e seus objetivos pro´postos, bem como dos movimentos pretendidos", ela disse.

Os comentários do Departamento de Estado foram feitos após a China lançar a viagem inaugural do seu primeiro porta-aviões, num movimento que alarmou os EUA sobre a expansão militar chinesa e sua crescente asserção sobre territórios disputados.

Os chineses apenas confirmaram que lançaram no mar um antigo porta-aviões soviético reformado. Eles minimizaram a capacidade militar do velho porta-aviões e disseram que ele será usado principalmente para treinamento e "pesquisas". A China afirmou que pretende construir três porta-aviões, baseados no velho projeto soviético reformado.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.