Molly Riley/Reuters
Molly Riley/Reuters

EUA pedem à China que investigue invasões de contas de email

Hillary Clinton criticou postura chinesa sobre filtrar conteúdo que pode ser visualizado por usuários da internet

Associated Press,

21 de janeiro de 2010 | 14h39

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, pediu nesta quinta-feira, 21, que a China investigue as invasões a contas de email que fizeram o Google ameaçar retirar-se do país e desafiou Pequim a tornar público o resultado das investigações.

 

Veja também:

linkChina diz que briga com Google não está ligada a relações com os EUA

linkGoogle decide adiar Android na China

linkCorrespondentes na China têm contas de email invadidas 

 

"Países que restringem acesso livra à informação ou violam os direitos básicos dos usuários da internet se arriscam a se isolar do progresso", disse a secretária, acrescentando que os EUA e a China "tem visões diferentes do problema, mas elas devem ser tratadas consistente e transparentemente".

 

Hillary citou a China como um dos países onde houve um "crescimento nas ameaças ao fluxo livre de informação" no ano passado. Ela também citou Tunísia, Uzbequistão, Egito e Vietnã.

 

A secretária ainda fez suas considerações a respeito da liberdade na internet e o nível de prioridade do assunto na política externa dos EUA. "Alguns países impuseram barreiras eletrônicas que previnem seus cidadãos de acessar algumas coisas na rede. Esses países expugnaram palavras, nomes e frases dos sites de busca. Eles violaram a privacidade de cidadãos que protestam pacificamente", disparou.

 

Funcionários do Departamento de Estado dizem que em breve será feita uma queixa formal ao governo chinês sobre as invasões às contas de email do Google. As autoridades da China, porém dizem que isso não afetará a relação entre os dois países.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.