EUA pedem à Colômbia extradição de chefe paramilitar

Os EUA pediram a extradição do chefe da principal organização paramilitar colombiana, Carlos Castaño, para processá-lo por suposto tráfico de drogas, informou hoje o ministro do Interior, Fernando Londoño. Ele afirmou que as autoridades colombianas ainda estão analisando o pedido.Londoño indicou que o primeiro passo a ser tomado pelos organismos de segurança e de investigação será o de localizar e deter Castanão para proceder uma possível extradição. Castaño está foragido da Justiça colombiana e não foi encontrado, apesar das ordens de captura pela suposta relação dele com assassinatos de políticos e massacres de camponeses.É a primeira vez que Castaño é vinculado pelos EUA a um processo por tráfico de drogas. Em algumas declarações recentes, Castaño disse estar disposto a apresentar-se perante a Justiça dos EUA para responder às acusações. Na mais recente nota editorial na página na Internet das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), Castaño admitiu que várias frentes da organização estão recebendo dinheiro do narcotráfico para se sustentar.Na semana passada, a Interpol incluiu na chamada "lista vermelha", distribuída por 150 países do mundo, três nomes de chefes paramilitares das AUC - entre eles, o de Castaño.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.