EUA pedem a Israel que assentamentos não avancem

Os Estados Unidos pediram a Israel para que mantenha o congelamento nas construções em assentamentos na Cisjordânia - a suspensão deve terminar no dia 30. A declaração foi feita pelo enviado especial dos EUA ao Oriente Médio, George Mitchell, depois de encontro com o premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, e com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, em Sharm el-Sheikh, no Egito.

AE, Agência Estado

15 de setembro de 2010 | 07h47

"Conforme o presidente (Barack) Obama disse recentemente, achamos que faz sentido prorrogar a moratória, especialmente agora que as negociações estão evoluindo", disse Mitchell. Apesar da pressão americana, Netanyahu indicou, no domingo, que autorizará a retomada de obras nos principais assentamentos da Cisjordânia.

Segundo o enviado americano, os EUA entendem as dificuldades de Netanyahu, que sofre pressão de integrantes de sua coalizão para suspender o congelamento e retomar as construções. O problema é que os palestinos ameaçam deixar as negociações se a moratória não for prorrogada. "Continuar com a expansão nos assentamentos destruirá as negociações", afirmou Saeb Erekat, negociador palestino, antes do encontro de ontem.

A reunião no Egito foi uma continuação do encontro realizado em Washington, há duas semanas, que relançou o processo de paz. Os dois lados concordaram em continuar negociando depois que Abbas e Netanyahu se reuniram ontem e disseram que a conversa foi positiva. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelpalestinospazEUAassentamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.