EUA pedem ao público ajuda para capturar terroristas

O governo americano divulgou hoje fotos e vídeos de cinco supostos membros da organização terrorista Al-Qaeda e pediu ao público ajuda para capturá-los. O secretário de Justiça dos EUA, John Ashcroft, divulgou o material, confiscado pelas forças dos EUA nas ruínas da residência do principal assessor militar de Osama bin Laden, Mohamed Atef, no leste do Afeganistão. Segundo fontes oficiais americanas, Atef morreu durante um bombardeio das forças dos EUA em novembro. "Estes homens podem estar em qualquer parte do mundo", disse Ashcroft. "Precisamos identificar, localizar e imobilizar esses terroristas suspeitos de estarem planejando mais ataques contra civis inocentes." Os vídeos foram exibidos sem áudio. "Estas fitas mostram jovens enviando o que parecem ser mensagens de martírio por parte de terroristas suicidas", explicou Ashcroft. "Uma análise dessas imagens indica que esses homens estão treinados e preparados para cometer futuros ataques terroristas." O secretário acrescentou que os investigadores americanos identificaram precariamente quatro dos cinco suspeitos. Em Londres, a polícia britânica informou hoje ter prendido no Aeroporto de Heathrow um homem que tentou embarcar num avião para Seattle, EUA, com uma faca e um alicate escondidos na meia e nos sapatos. O suspeito foi identificado como Ian Hugh Borden Ashley, um instrutor de pilotos de automóveis de corrida de 54 anos. Ele foi detido quando passou pelo detector de metal num dos terminais de embarque e acusado de tentar subir a bordo de um avião portando "armas ofensivas". Ashley, que é britânico, foi liberado depois de indiciado e deve comparecer ante um tribunal no dia 1.º. Uma fonte policial disse não acreditar que o incidente esteja vinculado a algum ato de terrorismo. As autoridades britânicas, no entanto, permanecem mobilizadas na caça a integrantes da Al-Qaeda. Ainda hoje, dois cidadãos argelinos suspeitos de integrar a rede de Bin Laden foram indiciados por um tribunal de Leicester, no centro da Inglaterra, sob a acusação de planejarem um ataque suicida com um helicóptero contra a embaixada dos EUA em Paris. Brahim Benmerzouga, de 30 anos, e Baghdad Meziane, de 37, foram presos em 25 de setembro depois da prisão, em Dubai, de um terceiro participante da conspiração, o também argelino Djamel Begal, que confessou o plano de Bin Laden de desfechar atentados contra interesses americanos na Europa. Além dos dois argelinos, a polícia britânica anunciou ter detido outros oito suspeitos, cujos nomes ou nacionalidades não foram divulgadas, relacionados à conspiração. Leia o especial

Agencia Estado,

17 Janeiro 2002 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.