EUA pedem desculpas por mortes. Iraquianos pedem revanche

Centenas de iraquianos, aos gritos de "a América é inimiga de Deus" e disparando tiros para o alto, participaram hoje do funeral de nove policiais iraquianos mortos na véspera por engano por tropas americanas. Na tentativa de parar com os disparos, os alto-falantes da Mesquita Imã Fawzi Namiq pediam aos atiradores que economizassem "suas balas para o peito do inimigo". Pouco antes, os militares americanos pediram desculpas pelo incidente e expressaram aos iraquianos suas condolências. Um porta-voz do comando americano, coronel George Krivo disse que os americanos atiraram depois de terem sido atacados por um grupo armado que estava num caminhão. "Fomos atacados por forças desconhecidas", declarou Krivo. "As forças da coalizão responderam imediatamente ao fogo e um tiroteio se seguiu por aproximadamente três horas. Lamentavelmente, durante o incidente, várias pessoas que faziam a segurança de um hospital foram mortas, incluindo oito policiais iraquianos e um civil jordaniano", afirmou o porta-voz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.