EUA pedem que China interceda em conflito

O governo dos EUA pediu ontem que a China use sua influência sobre o presidente do Sudão, Omar Bashir, para acabar com a crescente onda de violência que atinge o país e ameaça complicar a declaração oficial de independência do Sudão do Sul, marcada para 9 de julho. Bashir visitará Pequim - que tem grandes investimentos no Sudão - ainda este mês. A China é muito criticada por ignorar a violência de Cartum.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.