EUA pedem que China pare com ataques cibernéticos

A Casa Branca acusou a China na segunda-feira de invadir ciberneticamente, ou hackear, empresas dos EUA em uma "escala sem precedentes", e exigiu que os ataques cibernéticos parem.

AE, Agência Estado

12 de março de 2013 | 01h21

Com a crítica pública mais severa da administração Obama até agora, o conselheiro de Segurança Nacional Thomas Donilon pediu ao governo chinês que reconheça a urgência desta questão, investigue e pare com os supostos ataques cibernéticos. Ele também pediu que o país se torne parte de um processo de criação de regras internacionais para atividades apropriadas no ciberespaço.

"Cada vez mais, as empresas dos EUA estão manifestando suas sérias preocupações sobre roubos sofisticados e direcionados de informações confidenciais de negócios e tecnologias proprietárias através de invasões cibernéticas que emanam da China em uma escala sem precedentes", disse Donilon à Asia Society, em Nova York. "A comunidade internacional não pode tolerar tal atividade de qualquer país", disse ele.

O governo chinês negou várias vezes qualquer envolvimento na invasão cibernética de empresas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAATAQUES CIBERNÉTICOSHACKERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.