EUA pedem que Exército líbio deserte

Deixem de lutar e matar sua própria gente. Parem de obedecer as ordens do coronel Kadafi, diz Pentágono

estadão.com.br,

24 de março de 2011 | 18h02

As Forças Armadas americanas pediram nesta quinta-feira, 24, que o Exército da Líbia pare de obedecer ao ditador Muamar Kadafi. Em entrevista no Pentágono, o vice-almirante William Gortney disse que os militares ainda leais ao coronéis devem desertar.  

 

Veja também: 
especialTwitter: 
Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia
blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado
especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia
especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

"Nossa mensagem é simples: Deixem de lutar e matar sua própria gente. Parem de obedecer as ordens do coronel Kadafi", disse.

De acordo com o vice-almirante, a coalizão vai utilizar todas as ferramentas possíveis para convencer Kadafi de um cessar-fogo e o fim de ataques a civis. "Estamos usando todas as ferramentas que temos disponíveis", afirmou Gortney.

Ainda segundo o militar, depois que o comando da missão na Líbia for transferido, os EUA devem participar de algumas missões de apoio e participar - eventualmente - de ataques localizados.


Com AP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.