EUA pedem que Japão deixe projeto petrolífero no Irã, diz jornal

Os EUA pressionaram o governo japonês a retirar a empresa Inpex de um projeto no campo petrolífero iraniano de Azadegan, para acompanhar as sanções norte-americanas ao programa nuclear do Irã, disse um jornal nesta quarta-feira.

REUTERS

29 de setembro de 2010 | 10h44

Uma fonte governamental declarou ao Yomiuri que o governo norte-americano informou a Tóquio que a Inpex poderia ser incluída em uma nova lista de empresas passíveis de sofrerem punições dos EUA por causa de seus negócios com o Irã.

O governo japonês é o maior acionista da Inpex, com uma participação de 18,9 por cento, depois de uma recente transação bilionária com ações.

O Japão impôs neste mês sanções adicionais ao Irã, apesar de depender do petróleo iraniano.

A medida foi adotada por pressão dos EUA e da União Europeia, que suspeitam que o Irã esteja desenvolvendo secretamente armas nucleares, o que o governo iraniano nega.

Por causa da tensão envolvendo EUA e Irã, a Inpex já reduziu sua participação no projeto petrolífero de Azadegan de 75 para 10 por cento.

(Reportagem de Yoko Nishikawa)

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOIRAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.