EUA pedem que mais de 600 cubanos possam emigrar

O governo dos Estados Unidos pediu a Cuba que permita a emigração de 636 pessoas que, segundo Washington, tiveram negado visto de saída. Kevin Whitaker, coordenador de assuntos cubanos no Departamento de Estado, entregou a lista a Rafael Céspedes, diretor do departamento de assunto americanos do Ministério das Relações Exteriores de Cuba, em reunião realizada no escritório da missão americana na ONU."Um dos assuntos pelos quais estamos muito preocupados é que existem muitos cubanos com documentos válidos para entrar nos Estados Unidos, mas o governo cubano nega a eles vistos de saída", acusou Richard Grenell, porta-voz da missão americana. Os diálogos - realizados semestralmente, sendo uma vez em Havana e outra em Nova York - são fruto de acordos firmados entre 1994 e 1995, para controlar a migração de cubanos aos Estados Unidos.Os pactos puseram fim à chamada "crise dos balseiros", em 1994, quando cerca de 30.000 cubanos lançaram-se ao mar em embarcações rústicas, com a esperança de chegar ao território dos EUA. Espera-se que nas atuais negociações Havana reitere sua denúncia de que Washington está retardando a emissão de vistos para cubanos que desejam emigrar de Cuba para os Estados Unidos.Pelo acordo, Washington tem a obrigação de emitir 20.000 vistos por ano a cubanos que queiram deixar seu país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.