EUA pedem que promessas de mudanças se realizem no Egito

Porta-voz do Departamento de Estado diz que egípcios 'já não aceitam mais o status quo' do país

Efe

29 de janeiro de 2011 | 16h17

 

WASHINGTON - O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Philip Crowley, pediu que o presidente do Egito, Hosni Mubarak, não limite sua promessa de mudanças à troca do gabinete e realize ações concretas.

 

Veja também:

especialInfográfico:  A revolução que abalou o mundo árabe

blog Tempo Real:  Chacra acompanha a situação no Egito

 

"O governo egípcio não pode dizer que fará mudanças e depois ficar quieto. As palavras do presidente Mubarak que prometem reformas devem ser respaldas com ações", disse Crowley em mensagem publicada em seu Twitter.

 

O porta-voz do Departamento de Estado envia a mensagem pouco depois de Mubarak anunciar um novo primeiro-ministro - a quem deu a tarefa de formar um novo governo - e um vice-presidente, o primeiro em seus quase 30 anos de mandato.

 

"As pessoas do Egito já não aceitam mais o status quo do país. Estão pedindo ao governo um processo significativo que traga uma verdadeira reforma", escreveu Crowley em uma mensagem anterior.

 

Desde a terça-feira, o Egito vive dias de tensão com as revoltas populares que tomaram as ruas do país em favor da renúncia de Mubarak. O governo instaurou um toque de recolher, mas a população desafia a medida e segue enfrentando as forças de segurança no Cairo e em outras grandes cidades.

 

Os distúrbios, batizados de "Dia da Fúria" por alguns ativistas na internet, foram inspirados na "Revolução do Jasmim", que derrubou o presidente da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, há duas semanas. No Iêmen e na Jordânia também foram registradas manifestações.

 

Tudo o que sabemos sobre:
EgitocriseprotestosMubarakEUACrowley

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.