EUA podem dobrar número de tropas no Afeganistão

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos Estados Unidos, almirante Mike Mullen, disse ontem que o Pentágono poderia dobrar o número de forças americanas no Afeganistão no próximo verão para 60 mil - a maior estimativa já sugerida publicamente.Mullen disse que entre 20 mil e 30 mil tropas americanas adicionais poderiam ser enviadas ao Afeganistão para reforçar as 31 mil existentes no país. Este ano tem sido o mais mortal para as forças dos EUA no Afeganistão desde a invasão em 2001 para expulsar o Taleban. Ataques suicidas e bombas nas margens das estradas se tornaram mais perigosos. Comandantes norte-americanos pediram 20 mil tropas adicionais para ajudar forças britânicas e canadenses em duas províncias nos arredores de Cabul e no sul. Mullen disse ainda que poderia incluir forças de combate, além de suporte aéreo, médico e civil. "Nós temos forças suficientes para ter sucesso em combate, mas não temos soldados suficientes para manter os territórios que ocupamos". Há mais que 60 mil tropas estrangeiras no Afeganistão. Segundo Mullen, qualquer aumento do posicionamento estratégico dos EUA no Afeganistão estaria diretamente ligado ao número de tropas no Iraque, que estão sendo reduzidas pelos comandantes norte-americanos. "O Taleban e os extremistas são mais sofisticados e efetivos", disse Mullen. "Eles não têm vencido nenhuma batalha, mas eles certamente elevaram o nível de violência e estão muito focados nisso. Isto explica a importância de forças adicionais para poder garantir a segurança da população afegã."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.