EUA podem resolver pendência financeira da Coréia do Norte

Com o processo de desarmamento nuclear da Coréia do Norte interrompido, o Japão espera o enviado norte-americano Christopher Hill chegar em Tóquio nesta segunda-feira, 9, para discutir a liberação dos fundos norte-coreanos congelados em Macau, disse um oficial japonês. As negociações envolvem US$ 25 milhões que estão congelados no Banco Delta. O pressuposto é que com a resolução da pendência financeira o processo de desarmamento nuclear continue. Para o chefe de gabinete e porta-voz japonês, Yasuhisa Shiozaki, "é importante continuar as negociações o quanto antes", disse. "Nós esperamos que as discussões substanciais sejam retomadas". Depois de duas semanas de conversas em Beijing, na China, oficiais dos bancos dos Estados Unidos, das duas Coréias e da China acordaram um modo para o montante retornar à Pyongyang, disse o Departamento de Estado norte-americano na semana passada. Mais esforçosO vice-primeiro-ministro da Coréia do Norte, Kim Kye Gwan, disse nesta segunda-feira, 9, que seu governo pode permitir imediatamente a entrada no país de inspetores nucleares da ONU caso US$ 25 milhões, bloqueados em 2005 pelas autoridades de Macau por pressão dos EUA, sejam liberados. O banco no qual o dinheiro está depositado é acusado de ajudar Pyongyang a lavar dinheiro.Kim encontrou-se na capital norte-coreana com Bill Richardson, candidato democrata à presidência Americana, e Anthony Principi, ex-secretário dos assuntos de veteranos.O ministro também falou sobre a dificuldade em fechar a principal reator nuclear do país até sábado, como exige o acordo de desarmamento de fevereiro. A delegação norte-americana informou no domingo, 8, que não tinha intenção de discutir questões nucleares. O democrata Anthony Principi afirmou que "enquanto a Coréia do Norte não fechar o reator nuclear, enfrentaremos dificuldades nas negociações".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.