EUA poderão revistar navios de bandeira liberiana

A Marinha americana poderá abordar milhares de navios mercantes em águas internacionais para procurar armas de destruição em massa, segundo um acordo histórico assinado nesta semana entre os Estados Unidos e a Libéria, nação com o segundo maior registro de barcos do mundo. Na prática, o acordo põe sob supervisão dos militares americanos todos os navios com bandeira liberiana.A Libéria, que está se recuperando de quase 15 anos de guerra civil, ocupa a segunda colocação, depois do Panamá, em total de toneladas transportadas em portos americanos, sob as chamadas "bandeiras de conveniência". Um terço do petróleo importado pelos EUA chega em barcos com bandeira liberiana. Já a chanceler-adjunta do Panamá, Nivia Rossana Castrellón, disse que seu país não está negociando um acordo com os Estados Unidos que permitiria à Marinha americana a revistar navios de bandeira panamenha no mar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.