EFE
EFE

EUA prendem 250 membros de cartel de drogas mexicano

Jalisco Nova Geração é considerada a organização mais violenta do México

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2020 | 07h00

A DEA (agência antidrogas dos EUA) na quarta-feira, 11, a prisão de 250 pessoas ligadas ao Cartel Jalisco Nova Geração (CJNG), considerada a organização mais violenta do México. Foram confiscados 20 mil quilos de drogas e US$ 22 milhões em bens e propriedades nos últimos meses, segundo autoridades americanas. 

O objetivo, segundo a DEA, é caçar Nemesio Oseguera Cervantes, conhecido como “El Mencho”, número um na lista de narcotraficantes mexicanos mais procurados pelos EUA. A DEA oferece US$ 10 milhões por informações que levem à prisão de Mencho.

De acordo com a polícia, o grupo foi preso quando fazia uma espécie de reunião na Califórnia. Segundo o chefe interino da DEA, Uttam Dhillon, apenas ontem foram apreendidos 600 quilos de drogas e mais de US$ 1,7 milhão (R$ 8,1 milhões) com o grupo.

“Essa operação é uma das maiores ações contra uma única organização criminosa em muitos anos”, disse Dhillon. “Ao prender membros de nível de chefia, médio e alto, inibimos a capacidade do CJNG de continuar a ameaçar nossas comunidades e bairros com suas drogas mortais.” 

No México, a notícia foi recebida com ceticismo. “Eu vejo com muitas reservas este tipo de anúncio espetaculoso”, afirmou Alejandro Hope, ex-diretor do Cisen, a agência antidrogas do México. “Isto já aconteceu no passado e sempre significou pouco.”

Guadalupe Correa Cabrera, especialista em crime organizado, disse que a operação pode desarticular o CJNG, mas não reduzirá o tráfico de drogas nem a violência. “A triste realidade é que, sempre que se desmonta um cartel, surgem outros mais violentos como resultado da fragmentação.” / AP e WP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.