EUA prendem 303 suspeitos de integrar cartel mexicano

Agentes federais americanos detiveram, no decorrer dos últimos dois dias, 303 suspeitos de integrar o cartel mexicano de narcotráfico conhecido como "A Família", informaram hoje autoridades locais. Esta é a maior ação isolada já realizada dentro dos Estados Unidos contra o mais novo e violento cartel mexicano.

AE-AP, Agencia Estado

22 de outubro de 2009 | 19h27

A operação mobilizou mais de 3.000 agentes federais e levou a um total de 303 detenções em mais de uma dúzia de Estados americanos, de acordo com as informações divulgadas hoje em Washington.

O grupo mexicano ganhou reputação ao dominar o tráfico de metanfetamina e se tornou notório por atos grotescos de violência, como a decapitação de suas vítimas. Autoridades federais americanas disseram que o cartel, sediado no Estado mexicano de Michoacán, conta com uma ampla rede de distribuição de drogas dentro dos EUA.

O secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, prometeu manter as ações contra "A Família" e outros cartéis que, nos últimos meses, promoveram uma onda de derramamento de sangue no México, especialmente perto da fronteira entre os dois países.

O objetivo, segundo Holder, é desmantelar o cartel da cúpula à base. "Temos de trabalhar com nossos colegas mexicanos para cortar a cabeça dessas cobras, chegar à cúpula desses cartéis e indiciá-los, julgá-los e, se eles estiverem no México, extraditá-los para os Estados Unidos", declarou o secretário em Washington.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMéxicotráficoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.