EUA prendem 72 em ação contra a Al-Qaeda no Iraque

Soldados norte-americanos capturaram 72 supostos insurgentes e encontraram ácido nítrico e outros materiais usados na fabricação de bombas, em ações noturnas contra a Al-Qaeda ao norte e a oeste de Bagdá, anunciou neste domingo, 29, o Exército dos Estados Unidos. As operações sincronizadas foram realizadas nas províncias de Anbar e Salah al-Addin, ambas consideradas bases de apoio de árabes sunitas. Somente na cidade de Samarra, 36 pessoas com ligações com a Al-Qaeda no Iraque foram presas. Em Karmah, perto do bastião insurgente de Falluja, forças dos EUA confiscaram 20 barris de ácido nítrico e outros materiais usados em bombas. Os insurgentes vêm mudando de tática nos últimos meses. Eles usaram gás cloro em quase uma dúzia de caminhões-bomba, principalmente na província de Anbar, no oeste do país. O comandante militar dos EUA no Iraque, o general David Petraeus, classificou a Al-Qaeda de "inimigo público número um" no Iraque e disse que o grupo islâmico sunita vem cometendo o que chamou de ataques "sensacionais" para incentivar a violência sectária. No domingo, os militares dos EUA lançaram uma artilharia contra supostos alvos insurgentes no sul de Bagdá. Duas dúzias de explosões fortes balançaram os arredores da capital. O porta-voz do Exército dos EUA, o tenente-coronel Christopher Garver, disse que as explosões da manhã foram causadas pela artilharia dos EUA, mas recusou-se a dizer qual era o alvo. Dezenas de milhares de soldados dos EUA e iraquianos foram enviados a Bagdá, como parte do plano de segurança para combater milícias sectárias e insurgentes, iniciado há 10 semanas. Comandantes militares dos EUA dizem que os insurgentes, incluindo a Al-Qaeda, reagruparam-se nos arredores de Bagdá para lançar ataques e construir redes de carros-bomba que causaram muitas vítimas nas últimas semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.