EUA prendem mais de 400 pessoas no Iraque

Soldados americanos prenderam mais de 400 pessoas no Iraque, durante operações-relâmpago pelo norte e no centro do país, parte de uma campanha para encontrar e deter os rebeldes que adotaram uma nova tática para combater a ocupação: matar civis iraquianos considerados "amigos" dos Estados Unidos. A campanha de ataques rápidos da resistência à ocupação continua, a despeito da repressão firme por parte dos Estados Unidos. Um soldado americano foi morto a tiros durante uma patrulha em Bagdá. Os militares americanos informam que os três dias de invasão e revista de lares e escritórios de Bagdá e do norte do Iraque foram planejados para ?isolar e derrotar os bolsões de resistência restantes?. A reação das forças de ocupação ao que poderia ser o início de uma guerra de guerrilha em solo iraquiano vem provocando ressentimento no povo - com cidadãos iraquianos, muitos inocentes, sendo retirados de suas casas, algemados e interrogados.Na noite de segunda-feira, tropas dos EUA invadiram um café de Bagdá onde vinte homens tomavam chá e jogavam gamão. Todos foram alinhados junto a uma cerca, vendados, forçados a ficar de joelhos e levados em caminhões. Foram libertados depois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.