EUA prendem suposto guarda de campo nazista

O governo americano quer deportar um homem acusado de ter trabalhado como guarda de um campo de concentração nazista onde 120.000 pessoas morreram, durante a II Guerra Mundial. As autoridades prenderam Johann Leprich, de 77 anos, em sua casa. O procurador-geral dos EUA, John Aschcroft, disse que ?colaboradores dos nazistas não encontrarão refúgio nos Estados Unidos?. Durante a guerra, Leprich teria trabalhado no campo de concentração de Mauthausen, na Áustria. O campo funcionou entre 1938 e 1945. Estima-se que 120.000 pessoas tenham morrido lá de fome, doenças ou exaustão provocada pelo trabalho escravo numa pedreira. Cerca de 200.000 pessoas foram enviadas para lá - dissidentes políticos, homossexuais, soldados soviéticos e judeus. As autoridades americanas informam que Leprich era considerado fugitivo desde 1987, quando sua cidadania americana foi revogada.

Agencia Estado,

03 Julho 2003 | 20h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.