EUA pressionam árabes a apoiar negociações de paz

O governo do norte-americano Barack Obama pressiona líderes árabes a manterem vivo o processo de paz entre Israel e os palestinos. A declaração de funcionários dos Estados Unidos foi feita hoje, um dia antes de reuniões da Liga Árabe, que acontecem na Líbia.

AE-AP, Agência Estado

07 de outubro de 2010 | 18h35

Representantes dos EUA passaram dias tentando persuadir líderes árabes a não retirarem seu apoio prévio às negociações, já que seu suporte é considerado muito importante para que os palestinos se mantenham à mesa de negociações, especialmente se Israel não renovar o congelamento de novas construções em assentamentos na Cisjordânia.

O Departamento de Estado norte-americano informou hoje que quer ver "um sinal positivo" nas negociações da Liga Árabe. Para assegurar esse apoio, a secretária de Estado, Hillary Clinton, e o enviado especial George Mitchell farão contato por telefone com os líderes árabes.

Armamentos

O governo israelense assinou hoje um contrato para comprar 20 aviões de caça F-35 que possuem tecnologia Stealth (não são detectáveis por radares) a um preço de US$ 3 bilhões. Israel receberá os aviões dos Estados Unidos em 2016 e terá a opção, depois, de comprar mais 55 aeronaves de combate.

O contrato foi assinado hoje em Nova York, nos EUA, pelo diretor-geral do Ministério da Defesa de Israel, Ehud Shani. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse que o acordo irá fortalecer consideravelmente o poder militar do país.

O F-35 seria capaz de atingir o Irã sem ser detectado por radares. Israel considera o Irã uma ameaça estratégica, citando o programa nuclear da república islâmica e seus mísseis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.