EUA processam seis "esposas seriais" que casaram 43 vezes

Seis mulheres americanas que juraram nunca terem se casado antes obtiveram 43 autorizações para casar com imigrantes ilegais, a fim de que os homens pudessem permanecer nos EUA. Segundo a promotoria pública de Nova York, cada uma recebeu até US$ 1000 para cada matrimônio. Ainda de acordo com a acusação, apenas uma delas, Dezerrie Cortes, de 40 anos, recebeu 27 autorizações para casamento em Manhattan, entre 1984 e 2002, e também apresentou requisições na Flórida. Quatro das mulheres foram presas e acusadas de perjúrio e falsificação, por terem mentido no formulário que pede uma lista dos casamentos anteriores. O perjúrio é punido com até quatro anos de cadeia. Duas outras acusadas ainda são procuradas pelas autoridades. A promotoria não sabe quantas autorizações para residência nos EUA foram emitidas com base nas núpcias falsas. A denúncia foi feita contra as mulheres por funcionários do serviço de emissão de licenças para casamento, que suspeitaram ao ver as mesmas pessoas de novo e de novo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.