EUA proíbem vistos em Uganda por direitos gays

Os EUA estão impondo proibições de visto a pessoas de Uganda que estão envolvidas em casos de corrupção e que violam os direitos gays. O governo norte-americano não forneceu uma lista dos punidos.

AE, Agência Estado

20 de junho de 2014 | 01h56

Em fevereiro, Uganda aprovou uma lei que fortalece as penas criminais para o sexo gay, instituindo a possibilidade de prisão perpétua para quem for condenado por essa nova legislação. Desde então, grupos de direitos humanos constaram abusos contra os direitos gays.

"A lei discriminatória em Uganda, que criminaliza o status homossexual, deveria ser repelida, assim como as leis e políticas em mais de 76 países ao redor do mundo que criminalizam a homossexualidade", afirmou a embaixadora da Organização das Nações Unidas (ONU) Samantha Power. Ela acrescentou que a ONU fará tudo que for possível para trabalhar com governos e parceiros não-governamentais para acabar com a discriminação contra os gays ao redor do mundo.

Anteriormente, os EUA haviam dito que iriam descontinuar ou redirecionar milhões de dólares em ajuda a Uganda. O Pentágono também cancelou um treinamento no país. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Euaugandagays

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.