EUA prometem manter Cuba fora de cúpula

A Casa Branca reiterou ontem não aceitar a presença de Cuba na Cúpula das Américas de 2016 se o país não tiver cumprido, até lá, os mesmos compromissos democráticos dos outros 34 países do Hemisfério. A declaração antecipa a posição americana na edição deste ano do encontro, que ocorre no fim de semana em Cartagena, Colômbia.

DENISE CHRISPIM MARIN, CORRESPONDENTE / WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2012 | 03h06

Na segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff afirmou a Obama que o encontro em Cartagena "é a última Cúpula das Américas sem Cuba". Argentina, Venezuela e os demais países bolivarianos também pressionam nesse sentido.

"Esperamos o retorno de Cuba ao caminho da democracia o quanto antes", afirmou Dan Restrepo, conselheiro da Casa Branca para América Latina. "A inclusão (de Cuba) depende da implementação de reformas econômicas e da independência da economia cubana. Se isso ocorrer, será um bom caminho. Mas, hoje, as autoridades continuam a negar ao povo cubano seus direitos universais", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.