EUA prorrogam advertência sobre violência no México

Um grupo de agressores matou um homem e deixou um bilhete ameaçando as autoridades do norte do México. É o segundo caso em menos de 24 horas. Com isto, a embaixada dos Estados Unidos prorrogou na quinta-feira, 22, a advertência sobre a onda crescente de violência no país.Em comunicado a embaixada advertiu que sobre o "nível crescente de violência brutal em algumas regiões mexicanas" e pediu que seus cidadãos "aumentem as precauções quando forem para zonas pouco conhecidas".A advertência original foi anunciada em setembro e expirava agora em abril.O cadáver de um homem não identificado tinha sinais de tortura e tiros na cabeça apareceu na quarta-feira à noite em Santa Catarina, subúrbio de Monterrey.O corpo e a nota ameaçando Rogelio Cerda, chefe de segurança de Nuevo León, apareceram a cerca de 30 metros do lugar onde na terça-feira um grupo deixou o cadáver de Gustavo Espindola, que tinha os pés e as mãos atados e a cabeça coberta.A mensagem deixada ameaça o chefe de segurança e sua família, além de outras autoridades locais. As duas notas avisam que a violência continuará.Na cidade turística de Cancún, homens armados mataram dois homens e deixaram um bilhete informando que eram informantes da polícia.Também na quinta-feira, dois chefes policiais foram mortos por desconhecidos no estado de Chiapas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.