EUA quer imunidade para seus militares na UE

Os Estados Unidos pressionam a União Européia (UE) para que os países bloco assinem acordos que isentarão militares norte-americanos de serem processados pelo Tribunal Penal Internacional (TPI). Depois de receberem uma carta do secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, os europeus decidiram se reunir, na próxima sexta-feira na Dinamarca, para decidir o que fazer com o pedido do principal aliado da Europa. A UE sempre declarou que apóia o TPI e que condenava países, como a Romênia, que assinaram acordos similares com os Estados Unidos. Em um comunicado, a Comissão Européia alertou que o tratado que cria a TPI não prevê acordos como o que os Estados Unidos propõem e caso um dos 15 países do bloco aceite uma aliança com Washington, estará ferindo as leis do TPI. O problema, porém, não é legal, mas político. Os norte-americanos são os principais aliados econômico e militar dos europeus e Washington poderia se recusar a participar, no futuro, de programas em conjunto com a UE se Bruxelas não aceitar dar a imunidade aos soldados de Bush. Outro temor de Bruxelas é de que Londres, aliado incondicional de Washington, aceite um acordo com a Casa Branca e rompa a unidade européia. A estratégia para seduzir os europeus tem funcionado pelo menos com outros países, como a Colômbia. Os norte-americanos ameaçam cortar a ajuda ao Plano Colômbia caso Bogotá não dê imunidade aos militares dos Estados Unidos. Pressão Temendo que a UE ceda às pressões dos Estados Unidos, a organização não-governamental Human Rights Watch enviou uma carta aos 15 membros do bloco europeu pedindo que a proposta de Washington seja rejeitada. "Esse é um teste para a política externa comum da UE. Se o bloco fracassar agora, os defensores de uma política unilateral nos Estados Unidos ganharão força e o direito internacional será colocado em risco", afirma a ong. Após a reunião desta semana, o Conselho de Ministros da UE se reúnem no dia 4 de setembro para possivelmente dar uma palavra final sobre o tema.

Agencia Estado,

28 Agosto 2002 | 13h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.