EUA quer tropas britânicas reposicionadas, confirma Londres

A Grã-Bretanha está considerando um pedido dos Estados Unidos para reposicionar algumas de suas tropas no Iraque a fim de liberar soldados americanos para um assalto contra o bastião rebelde sunita de Faluja, confirmou nesta segunda-feira o secretário de Defesa britânico Geoff Hoon. Segundo o secretário, equipes de reconhecimento avaliarão o pedido em campo e uma recomendação deve ser feita ainda esta semana. Ele rejeitou sugestões de alguns congressistas de que um reposicionamento seria um gesto político para reforçar as chances de reeleição do presidente americano, George W. Bush. "Quero deixar claro que o pedido é estritamente militar", afirmou. Ele não quis revelar o número de soldados que seriam reposicionados. Mas diversos jornais britânicos divulgaram que Londres está considerando deslocar sua força de reserva - o Primeiro Batalhão Black Watch (Vigília Negra), de 650 integrantes - do relativamente calmo sul do Iraque para uma região próxima a Bagdá. A Grã-Bretanha tem atualmente 9.000 soldados no Iraque, operando ao redor da relativamente calma cidade portuária sulista de Basra. Deslocar soldados britânicos para o norte, onde seriam mais expostos a ataques insurgentes, seria uma decisão politicamente delicada para o primeiro-ministro Tony Blair.

Agencia Estado,

18 Outubro 2004 | 17h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.