EUA querem obter supremacia nuclear, acusa chanceler russo

O ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, disse nesta quarta-feira, 21, que Moscou percebe as bases de lançamento de mísseis dos EUA no leste da Europa como um sinal de que o governo americano pretende obter uma superioridade nuclear e defendeu que os dois países negociem novos controles de armas para fortalecer a confiança mútua.As declarações de Lavrov foram feitas durante entrevista ao jornal Rossiyskaya Gazeta e publicadas nesta quarta-feira, 21. Trata-se do mais recente sinal da crescente desconfiança entre Washington e Moscou.O chanceler russo desqualificou a alegação americana de que seu plano de posicionar dez interceptadores de mísseis na Polônia e um radar na República Checa tenha com objetivo conter uma eventual ameaça iraniana."Se eles falam em ameaças potenciais vindas do Irã ou da Coréia do Norte, os elementos de defesa deveriam estar posicionados em outros lugares", opinou Lavrov."Nós não ajudaríamos mencionando que essas estruturas seriam capazes de interceptar mísseis lançados pela Rússia", prosseguiu. Como, segundo Lavrov, não existe a ameaça de a Rússia atacar os EUA, o plano de instalar um sistema de defesa de mísseis no leste europeu poderia encorajar o governo americano a pensar em termos de obter uma superioridade nuclear frente a Moscou."Uma vez que a proteção contra um primeiro ataque está garantida, como aparentemente esperam os estrategistas americanos, outra tentação surge: a de ser o primeiro a atacar, pois haveria a chance de se escapar impune", prosseguiu o chanceler.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.