EUA querem presídio permanente em Guantánamo, diz jornal

O Departamento de Defesa dos EUA quer US$ 25 milhões para construir um presídio de 200 celas na base americana de Guantánamo, em Cuba, para substituir as celas improvisadas com contêineres que atualmente retêm os supostos terroristas capturados pelos EUA, informa o jornal Miami Herald. A Justiça americana ainda não decidiu se o governo tem o direito de manter prisioneiros indefinidamente e sem os direitos reservados a prisioneiros de guerra e criminosos comuns.Ao mesmo tempo, diz o Herald, o Exército está criando uma guarda profissional de carcereiros militares, de 324 membros, para substituir a força de reservistas em Guantánamo. O jornal obteve um memorando do Exército ao Congresso pedindo verba para a criação da nova força.A prisão de Guantánamo hoje abriga cerca de 550 detentos de 42 países, que foram capturados no Afeganistão e levados a Cuba. Apenas quatro foram formalmente acusados. "(Os militares) estão apostando que os tribunais, no final, permitirão que o governo mantenha esses combatentes inimigos, como são chamados, indefinidamente, desde que haja algum processo de revisão", disse o coronel reformado Dan Smith ao Herald. "Então Guantánamo vira uma prisão - não quero dizer Gulag - extraterritorial, para qualquer um que quiserem pôr lá", avaliou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.