EUA querem que Paquistão rompa com rede Haqqani

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, pediu nesta sexta-feira que o Paquistão "encerre qualquer ligação que tenha" com a rede terrorista Haqqani, acusada por ataques no Afeganistão, dentre eles o recente atentado à embaixada norte-americana em Cabul.

AE, Agência Estado

23 Setembro 2011 | 12h52

O chefe de Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA, almirante Mike Mullen, declarou na quinta-feira que a rede Haqqani, ligada à Al-Qaeda, é um "verdadeiro braço" da agência de inteligência paquistanesa Inter-Services Intelligence (ISI).

Carney afirmou que os Estados Unidos manterão sua atuação no Paquistão, embora exijam que o país interrompa sua relação com a rede Haqqani.

Segundo ele, o governo norte-americano sabe que a rede Haqqani foi responsável pelos ataques à embaixada em Cabul e por outros vários atentados. O porta-voz reiterou que os Estados Unidos têm um relacionamento importante com o Paquistão e que Washington deixará claras suas preocupações. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUA Paquistão política rede Haqqani

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.