EUA recebem informação 'verossímil' de ameaça para 11 de setembro

Autoridades citadas por agências de notícias afirmam que a ameaça parece ser direcionada para as cidades de Nova York e Washington, atingidas pelos ataques de 2001.

BBC Brasil, BBC

08 Setembro 2011 | 21h03

O governo americano está investigando informações "específicas e verossímeis, mas ainda não confirmadas" sobre possíveis ameaças de atentados para o aniversário de dez anos dos atentados de 11 de setembro de 2001, no próximo domingo.

O Departamento de Segurança Interna americano emitiu um comunicado confirmando a suspeita, mas sem dar maiores detalhes.

Segundo uma fonte citada pela rede de TV CNN, autoridades disseram a integrantes do Congresso americano que estão "fortemente preocupadas" e "não estão subestimando nada".

Autoridades citadas sob anonimato por diversas agências de notícias afirmam que a ameaça parece ser direcionada para as cidades de Nova York e Washington, atingidas pelos ataques de 2001.

No entanto, segundo as mesmas autoridades, outras localidades não podem ser descartadas como alvos em potencial.

O comunicado do Departamento de Segurança Interna não cita os nomes das cidades supostamente ameaçadas.

Bin Laden

Integrantes do governo americano destacam que, durante a operação que levou à morte de Osama Bin Laden, no Paquistão, em maio deste ano, foram encontrados documentos que mostravam a intenção do líder da rede Al-Qaeda de realizar atentados que coincidissem com a data.

Os atentados de 2001 foram realizados por extremistas ligados à rede Al-Qaeda, que sequestraram quatro aviões: dois atingiram as Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York, enquanto outro se chocou contra o Pentágono, em Washington. O quarto caiu na cidade de Shanksville, na Pensilvânia. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.