EUA reconhecem "más notícias" na luta antidrogas no Afeganistão

Os Estados Unidos reconheceram nesta quinta-feira que sua estratégia contra o comércio de drogas no Afeganistão não vem apresentando os progressos desejados. "É uma má notícia e nós temos que melhorar isso", disse Thomas Schweich, vice-secretário assistente da Secretaria de Estado para Narcóticos. "Mas não consideramos uma missão impossível, e não achamos que a estratégia geral seja uma estratégia errada."Schweich falou a jornalistas em Washington num momento em que vários especialistas prevêem um aumento de 40% no cultivo de ópio neste ano no Afeganistão. O quadro dramático ocorre apesar das centenas de milhões de dólares investidas nos esforços antinarcóticos. O Afeganistão produz mais de 90% do ópio mundial. O ópio é matéria-prima da heroína. O comércio de droga tem um efeito corrosivo no governo do presidente Hamid Karzai, apoiado pelos Estados Unidos.Mesmo com o aumento na produção do ópio, Schweich afirmou estar ocorrendo melhorias significativas na situação. Entre tais melhorias, ele citou a criação de tribunais antinarcóticos, uma boa erradicação do cultivo da papoula (planta de onde o ópio é retirado), melhor distribuição de fundos a produtores de papoula para que busquem profissão alternativas e uma campanha de informação pública sobre a droga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.