EUA reduz número de funcionários na embaixada no Iêmen

O Departamento de Estado dos EUA afirmou que reduziu o número de funcionários na embaixada americana no Iêmen devido à deterioração da segurança no país.

Estadão Conteúdo

10 Novembro 2014 | 19h36

A medida foi estabelecida no mesmo dia em que o Tesouro americano impôs sanções contra o ex-presidente do Iêmen e dois comandantes militares ligados ao poderoso grupo rebelde xiita Houthi, em meio a um aumento de protestos antiamericanos.

As sanções foram impostas depois de o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas colocaram os três homens na lista de sanções por ameaçar a paz, a segurança e a estabilidade do Iêmen, na sexta-feira.

Milhares de houtis e apoiadores do ex-presidente protestaram contra os EUA na sexta-feira e exigiram que o embaixador americano deixasse o país. Apesar da redução de funcionários, o Departamento de Estado americano disse que a embaixada em Sanaa continua em aberta. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUAIêmenembaixada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.