EUA reforçam sanções comerciais contra Cuba

O governo dos EUA anunciou que irá perseguir violentamente aqueles que violarem o embargo comercial de décadas com Cuba, segundo a BBC. Uma nova força-tarefa foi criada para policiar as sanções impostas a Cuba e aqueles que desrespeitarem irão enfrentar altas multas. O promotor-chefe da Flórida disse que qualquer um que viajou ilegalmente ou fez comércio com Cuba será punido.Mas críticos dizem que a iniciativa é uma tentativa de aumentar os votos do partido Republicano antes das eleições do Congresso. O advogado Alexander Acosta, morador de Miami, disse que as medidas irão garantir uma maior eficácia às sanções dos EUA contra Cuba. "O propósito das sanções é de isolar economicamente o regime de Fidel Castro, e de privá-lo de conseguir os dólares americanos que eles tão desesperadamente procuram", disse Acosta. Interesse eleitoralMiami é a capital não-oficial do exílio cubano, e um segmento-chave do voto republicano.O correspondente da BBC Emílio Sna Pedro diz que duras iniciativas como essa serão bem-vindas pela maioria dos segmentos conservadores da comunidade, que vêem a débil saúde do ditador cubano como uma oportunidade para mudanças políticas na ilha.Acosta disse que qualquer um que romper com o embargo comercial irá encarar a possibilidade de uma pena de dez anos de prisão e uma multa pesada.A força-tarefa incluirá o FBI e unidades dos departamentos do Tesouro, de Segurança Interna e do Comércio;Isso representa a última iniciativa para reforçar as restrições nas relações entre os dois países.As limitações foram impostas pela primeira vez em 1960, e só se expandiram desde então.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.