EUA registram caso de MERS por contaminação direta

Os EUA registraram o primeiro caso aparente de transmissão direta do vírus da Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS, na sigla em inglês) entre duas pessoas, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

AE, Agência Estado

18 Maio 2014 | 22h34

O caso ocorreu em Illinois. Um homem exibiu evidências de contaminação após se encontrar com o médico que foi o primeiro caso diagnosticado nos EUA. Os dois estiveram juntos por 40 minutos em 25 de abril, e tiveram um segundo encontro mais breve em 26 de abril, informou o CDC. O homem, que é parceiro de negócios do doutor, não ficou doente o suficiente para buscar ajuda.

O médico, cidadão norte-americano que vive e trabalha na Arábia Saudita, estava nos EUA para visitar a família e desenvolveu alguns sintomas iniciais da MERS. O CDC testou mais de 50 contatos dele, mas não foi encontrada mais nenhuma contaminação.

Até hoje, pouco se sabe sobre a dinâmica da doença, embora os primeiros casos tenham aparecido no mundo há dois anos. Essa última contaminação sugere que a doença pode se espalhar de modo mais fácil do que funcionários da área da saúde previam. Mesmo assim, David Swerdlow, que está no comando do CDC para o controle da MERS, disse que o caso de Illinois não muda a visão de que a doença não é transmitida facilmente, como a gripe.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, há ao menos 572 casos confirmados ao redor do mundo, com 173 mortes. Todos eles estão relacionados a países do Oriente Médio. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Eua mers

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.