EUA reiteram apelo à Coreia do Norte para libertação de preso americano

Homem foi condenado a oito anos de trabalhos forçados por ter entrado ilegalmente no país

09 de julho de 2010 | 22h50

WASHINGTON- O governo dos Estados Unidos reiterou nesta sexta-feira, 9, um pedido para que a Coreia do Norte liberte um cidadão americano detido e condenado no país asiático por entrada ilegal no território. Aparentemente, o prisioneiro foi hospitalizado após uma tentativa de suicídio.

 

Veja também:

linkAmericano detido na Coreia do Norte tenta suicídio, diz agência

 

"Apelamos ao governo norte-coreano para que liberte o senhor Gomes com base em razões humanitárias", disse em sua entrevista coletiva diária Mark Toner, porta-voz do Departamento de Estado americano, sobre a situação de Aijalon Mahli Gomes, de 30 anos.

 

O porta-voz, contudo, não confirmou a informação divulgada hoje pela agência oficial norte-coreana KCNA sobre a tentativa de suicídio do prisioneiro.

 

Segundo a chancelaria americana, diplomatas da Suécia, país que representa os interesses dos EUA em Pyongyang, tiveram nesta sexta acesso consular a Gomes, detido na Coreia do Norte no dia 25 de janeiro por entrada ilegal através da fronteira com a China.

 

Em abril, Gomes foi condenado a oito anos de trabalhos forçados por um tribunal do regime de Kim Jong-il.

 

Toner também não quis revelar se os funcionários consulares visitaram Gomes no hospital ou em uma prisão. No total, a embaixada sueca pôde se reunir com o americano oito vezes, contando o encontro desta sexta.

 

Gomes é o quarto americano detido na Coreia do Norte desde o início de 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.