EUA rejeita pedido de clemência de Edward Snowden

A Casa Branca e líderes do comitê de inteligência no congresso norte-americano estão rejeitando o pedido de clemência de Edward Snowden. "Snowden violou a lei dos EUA", disse o assessor da Casa Branca, Dan Pfeiffer, sobre o ex-agente da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) que está em asilo na Rússia.

Agência Estado

03 de novembro de 2013 | 19h32

"Ele deveria voltar para os EUA e enfrentar a justiça", disse Pfeiffer, acrescentando que nenhuma oferta de clemência está em discussão.

Snowden fez o apelo em uma carta entregue a um político alemão. Na carta, ele pede clemência por vazar informações confidenciais da NSA a imprensa. "Falar a verdade não é crime", escreveu Snowden.

A chefe do comitê de inteligência do Senado dos EUA disse que se Snowden somente queria divulgar a verdade, ele deveria ter reportado a um comitê privado. "Isso não aconteceu e agora ele faz esse enorme desserviço aos nosso país, disse a senadora democrata Dianne Feinstein. "Eu acho que a resposta é sem clemência".

O presidente do comitê de inteligência, Mike Rogers, chamou o pedido de uma "péssima ideia". "Se ele acredita que há vulnerabilidade no sistema, ele não deve cometer um crime, que coloca a vida de soldados em risco, como no Afeganistão". Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASnowden

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.